Presidente da ACAERT fala ao parlamento catarinense em mensagem anual

Confira o discurso em vídeo acima, ou leia a íntegra abaixo


Receber as principais informações diariamente pelo WhatsApp

MENSAGEM ANUAL DO SEGMENTO DA COMUNICAÇÃO 2021

Senhoras e senhores, bom dia! Em nome do presidente da ALESC, deputado Mauro de Nadal, e dos demais membros desta mesa diretiva agradeço a todos os deputados estaduais aqui presentes e também aqueles que nos acompanham de forma virtual, estendendo os cumprimentos aos radiodifusores que também estão comigo aqui hoje neste importante compromisso.

Como representante do segmento da comunicação, destaco a importância para a ACAERT e seus associados, de ocupar por mais um ano a tribuna desta casa legislativa para poder proferir a ‘mensagem anual do segmento da comunicação’ ao parlamento catarinense.

Pouco mais de um ano atrás, em 10 março de 2020, quando estive aqui para o mesmo compromisso anual, o mundo era outro. Naquele momento já se tinha a informação de um vírus que se propagava de forma ameaçadora, mas ele ainda não era uma realidade para nós, brasileiros. Cenário que mudaria drasticamente apenas alguns dias depois.

Como todos, fomos obrigados a nos reinventar da noite para o dia. Entre os setores que sentiram imediatamente o impacto da pandemia, o da comunicação foi um deles. Todas as empresas do nosso segmento sofreram com a suspensão de contratos de publicidade, cancelados por causa do contexto e do fechamento de estabelecimentos, que não tinham como anunciar a oferta de produtos ou serviços.  

Tivemos uma perda média de 30% do nosso faturamento, o que nos obrigou a enxugar custos e aumentar a eficiência, assim como os demais setores empresarias de Santa Catarina.  

Além das perdas do ponto de vista financeiro, choramos a morte de muitos amigos e profissionais do nosso segmento. Houve meses em que perdemos as contas de quantas notas de pesar foram feitas em homenagem aos que partiram. Pessoas que se foram e deixam um vazio em nossos corações. Como foi o caso do insubstituível Rogério Pereira, o Pirata, de são Joaquim, nosso amigo de diretoria.

 mesmo assim o empresário do nosso setor, o radiodifusor, não se intimidou e encontrou coragem e motivação para continuar gerando empregos, movimentando a economia e fazendo mais por sua cidade e por sua região.

Foi nesse momento que as virtudes históricas do nosso segmento se fizeram notar ainda mais:  o compromisso com Santa Catarina e com os catarinenses. Mesmo com todos os desafios, fomos resilientes e enfrentamos a pandemia oferecendo o que de melhor sabemos fazer, produzir informação de verdade.  

Assim como médicos, bombeiros, enfermeiros, caixas de supermercado, policiais e tantas outras atividades essenciais, continuamos na rua levando a informação para quem estava em casa, ajudando a combater não só o vírus da covid-19, mas também o vírus da Fake News, que se propagou assustadoramente.

Só no âmbito da ACAERT, adaptamos todas as campanhas institucionais para ajudar no enfrentamento da pandemia. Inicialmente com a campanha “não pague a pato, confie em quem apura o fato”, de combate à Fake News, explicando naquele início da chegada da doença ao brasil, a necessidade do distanciamento social, do uso de máscara e do fim dos abraços e aperto de mãos, tão caro aos brasileiros.

A ACAERT integrou um grupo de trabalho, com membros de outras entidades e do governo do estado, ajudando a combater a desinformação. Só o nosso projeto, checou mais de 100 conteúdos que circulavam pelas redes sociais entre os catarinenses, e que na grande maioria eram falsos.

Também ativamos a campanha “pense grande, pense rádio, pense tv”, destacando a atuação dos demais profissionais que estavam, junto com nossos comunicadores, na alinha de frente do combate à pandemia. E o jeito catarinense, educando sobre o jeito certo de evitar a contaminação e a proliferação do vírus entre as crianças.  

A radiodifusão catarinense, através dessas campanhas, doou, só me 2020, mais de 120 milhões de reais em comerciais veiculados de graça, ajudando a informar a população e minimizando os impactos da pandemia no nosso sistema de saúde e na economia.

Destaco ainda a presença constante do assunto em nossos noticiários, que mesmo sob todo tipo de crítica, se manteve firme no propósito de informar e esclarecer.  Hoje comemoramos os recordes históricos de audiência.

Entre os ouvintes de rádio, 17% afirmaram ouvir muito mais rádio após o início da pandemia. Já a tv, comemora a maior média de audiência dos últimos 5 anos, servindo não só como fonte de informação, mas de entretenimento. Destacando aqui que a tv comemorou em 2020, 70 anos de existência no Brasil.  

Para além disso, nossa credibilidade junto aos ouvintes e telespectadores também cresceu, consagrando o modelo de jornalismo profissional como aquele que tem a preferência de 70% da população na hora de procurar informações sobre a pandemia.  Hoje, mais do nunca, somos veículos essenciais.

Não posso deixar destacar que a ACAERT comemorou 40 anos em plena pandemia. Não foi uma comemoração com a nossa entidade merecia, mas foi a celebração possível em tempos de pandemia. Marcamos a data com a publicação de um livro histórico, que foi enviado os gabinetes de todos os deputados e entregue em mãos ao presidente Mauro de Nadal, em visita que fiz recentemente acompanhado de demais dirigentes da ACAERT.

Aliás, aqui cabe destacar a contribuição dos demais colegas que compõe a diretoria da ACAERT comigo, que assim como eu, não recebem nenhum centavo pelo trabalho dedicado à nossa entidade. Tudo é feito de forma voluntária e espontânea, um diferencial importante e que sempre merece ser lembrado.  

A radiodifusão catarinense é diferenciada. Mesmo com todos os obstáculos do último ano, investimentos importantes estão sendo feitos em nosso setor. O mais simbólico deles é a migração AM – FM. Santa Catarina deve ser o primeiro e único estado do brasil que terá 100% das emissoras “AM EM FM” dentro da faixa convencional. Isso representa mais qualidade de sinal, maior audiência e mais resultados para os anunciantes.

Além disso a radiodifusão está mais verde. É cada vez maior o número de emissoras de rádio e tv que investem em parques geradores de energia solar, projetando um retorno de longo prazo no investimento, mas oferecendo uma indústria mais limpa hoje, ajudando a aliviar o meio ambiente e o sistema elétrico, que mais uma vez se vê ameaçado pela crise hídrica,

Aproveito para ressaltar que se temos uma radiodifusão diferenciada, grande parte do trabalho foi feito no passado pelos presidentes que me antecederam no cargo, e que fizeram a nossa entidade grande como ela é hoje, um modelo para o Brasil.  

E por falar em referências para o país, é preciso mais uma vez destacar o convênio entre ALESC e ACAERT que divulga de forma ampla e técnica as ações deste parlamento em prol de Santa Catarina.//

 um convênio que já tinha função estratégica no passado, mas passou a ser fundamental em tempos pandêmicos, em que até as galerias deste parlamento precisam ser fechadas ao público por questões sanitárias. Nesse contexto, nada melhor do que continuar prestando contas das ações desta casa através dos veículos que chegam a todos os catarinenses, ou seja, o rádio e a TV.

Faço questão de destacar a retidão com a qual a ACAERT operacionaliza este convênio, que só em 2020 originou mais de 170 mil documentos entre notas fiscais, certidões e demais comprovantes de veiculação da mídia que foi contratada pelo poder público, dentro das emissoras de rádio e TV.

Além do esforço operacional, destaco também que o convênio já foi auditado mais de 10 vezes por técnicos do tribunal de contas do estado, o que nos dá cada vez mais garantias sobre a lisura deste contrato entre a ACAERT e ALESC.

Ainda que aqui me caiba o papel de reconhecer a agradecer importância desta pareceria, é imprescindível lembrar que a “publicidade dos atos do poder público” é uma obrigação legal, amparada pelo artigo 37 da constituição, e que o rádio e a tv são os melhores veículos para dar abrangência e publicidade aos atos públicos.

É por isso que nos chama atenção que em plena pandemia, quando a comunicação de campanhas de conscientização e vacinação são, mais do que nunca, fundamentais. Alguns deputados ainda insistam em distorcer o princípio constitucional da publicidade para criticar os investimentos em comunicação como se não fossem uma obrigação, mas sim um gasto desnecessário ou até um desperdício de dinheiro público.  Consideramos esse tipo de atitude pura demagogia. Não podemos confundir o papel fiscalizador do parlamentar, legítimo e necessário, com esse tipo de pirotecnia retórica em busca de “likes” nas redes sociais.

 e é importante lembrar que há poucos anos as redes sociais foram dadas como o novo e único caminho para decidir uma eleição. Hoje sabemos que elas não são autossuficientes e alimentam em grande parte a polarização e a desinformação, ancoradas muito mais em métricas da vaidade do que no princípio amplo de publicidade.

Senhoras e senhores, a falsa ilusão de democracia causada pela sensação de saber que tudo pode ser dito numa rede social, esconde uma ameaça para o próprio modelo democrático, provocada por essa falta de moderação de conteúdo que permite um alcance maior de uma mentira, impulsionada por robôs e algoritmos, do que da própria verdade.

Como sabemos que esse tipo de atitude não reflete a maioria deste parlamento. Me permitam fazer um agradecimento pela aprovação do projeto de lei que criou a semana estadual do rádio, e que será comemorada de forma grandiosa pela primeira vez em setembro deste ano, entre os dias 20 e 25.

E já que falamos da atividade parlamentar, não posso deixar de lembrar que a mídia regional não se furtou a acompanhar o dia a dia desta casa legislativa. Dando ampla cobertura aos dois processos de impeachment que tramitaram neste parlamento, bem como a todos os demais projetos de lei que ajudaram a atenuar os efeitos da pandemia na vida dos catarinenses.

E a ACAERT e seus associados jamais viraram as costas para Santa Catarina. Por isso, mais uma vez, no início deste ano ativamos novas campanhas de comunicação apoiando o retorno às aulas de forma segura, novamente sob a marca do jeito catarinense, e outra ação que reforçou a importância de manter as atividades econômicas, evitando um lockdown, mas reforçando sempre que para isso é necessário que a população mantenha os cuidados básicos de prevenção

Agora, finalmente com a vacina ampliando a imunização e desenhando no horizonte um retorno ao normal, estaremos sempre ao lado do nosso povo e da nossa gente para recuperar os setores mais prejudicados pela crise, com o ramo do turismo e eventos, por exemplo. Ajudando a gerar empregos, movimentando a economia e arrecadando impostos, para que esses recursos voltem em serviços para todos nós.  

Cientes do nosso compromisso social e político, a ACAERT e seus associados renovam aqui o respeito a decisão tomada da forma democrática e transparente pelo tribunal de julgamento que manteve o governador Carlos Moisés no cargo. E que também põe fim ao clima de insegurança institucional permitindo que a partir de agora possamos nos concentrar em outros assuntos igualmente urgentes para Santa Catarina.

Por isso, antes de finalizar, gostaria de apresentar a nossa mais nova campanha de apoio à reforma da previdência estadual.

Essa campanha tem dois objetivos principais. Garantir que as senhoras e senhores deputados, possam votar de consciência tranquila pelo bem do equilíbrio fiscal do estado, porque terão o reconhecimento dos seus eleitores de que isso é o melhor para Santa Catarina.

Por outro, lado o próprio catarinense poderá entender, através da força do rádio e da tv, que o fim de privilégios significa melhorias ao cidadão, que sempre é carente de um serviço público mais eficiente e de melhor qualidade.  

Espero através deste breve relato, senhoras e senhores, ter comprovado a reponsabilidade social que sempre pautou as ações da nossa entidade e do nosso segmento, renovando esse compromisso para o futuro não só com vocês, nobres deputados, mas com toda Santa Catarina.

Muito obrigado 

Reporter: ACAERT

Compartilhe