Deputados Federais aprovam projeto de socorro emergencial aos agricultores familiares

A Câmara dos Deputados aprovou, na última terça-feira (08), um projeto de lei que socorre os agricultores familiares mediante os problemas da pandemia. O projeto de lei, de autoria do deputado Pedro Uczai (PT-SC), retoma os vetos da presidência da República. Com a proposta, quando o agricultor familiar estiver dentro do conceito de extrema pobreza, ele terá o fomento emergencial de R$ 2.5 mil. Se a família for comandada por uma mulher, o benefício será de R$ 3 mil.


Receber as principais informações diariamente pelo WhatsApp

O deputado catarinense destacou a importância deste auxílio aos agricultores familiares em dificuldades financeiras devido à Covid-19. “Vamos ter recursos para fomento, renegociação das dívidas, crédito e fazer com que a produção de alimento se coloque no centro da nossa estratégia de política pública. Agora a nossa mobilização nacional é para aprovar rapidamente, no Senado, e em seguida tenha a sanção presidencial”.A deputada Alice Portugal (PCdoB-BA) afirmou o grande destaque ocupado pelo agricultor familiar no cenário nacional. “Oitenta por cento da produção agrícola brasileira é produzida por esse mecanismo. O agricultor familiar mexe a economia, mexe com a agricultura e é necessário, de fato, que medidas essenciais de amparo venham mitigar os impactos socioeconômicos da Covid”.

Já a deputada Talíria Petrone (PSOL-RJ) frisou que sem o trabalho do agricultor familiar, o homem da cidade não tem o alimento na mesa de cada dia. “Não há possibilidade da maioria dos brasileiros terem comida na mesa se nós não valorizarmos o que são os agricultores familiares. Se o campo não planta, a cidade não janta”. O homem do campo tem que ser valorizado, ainda mais neste momento crítico que o país atravessa. Assim se referiu o deputado Pompeo de Matos (PDT-RS). “ Prorrogação dessas dívidas por mais um ano com carência. A suspensão das execuções judiciais é muito importante, ou seja, é todo um programa emergencial onde cada familiar pode ter acesso a um crédito de R$ 6 a R$ 7 mil.

Nós precisamos valorizar o agricultor familiar que produz alimento. Agora na pandemia, eles precisam de apoio, de recurso”. Estas medidas para diminuir o impacto socioeconômico da Covid-19 devem ser adotadas até 31 de dezembro de 2022. Agora as medidas emergenciais de amparo aos agricultores familiares serão votadas no Senado Federal.

Por Luis Ricardo Machado

Rede de Notícias Regional /Brasília

Crédito da foto: Divulgação/Agência Câmara

Compartilhe