Arthur Lira exonera 450 funcionários comissionados da Câmara

Em um dos primeiros atos como presidente da Câmara Federal, o deputado  Arthur Lira, decidiu exonerar, pelo menos, 450 funcionários comissionados de natureza especial (CNE). A medida faz parte da reorganização estrutural da Câmara.


Receber as principais informações diariamente pelo WhatsApp

Para Danilo Morais, administrador público com mestrado em Ciência Política, a intenção é que as vagas sejam ocupadas por indicações de aliados de Lira. “O ato do presidente Arthur Lira pode ser lido sob duas óticas. A primeira delas é como uma espécie de ato de autoridade. Ele assumindo a presidência da Casa e faz um gesto para mostrar quem é o comandante da organização. Mas sob um segundo aspecto, talvez o mais importante, ele também faz com esse ato a abertura de espaços para que ele possa acomodar os seus novos aliados e mesmo para que ele possa reconsiderar as exonerações diante de pedidos e apelos de deputados que dissentiram da sua eleição para a mesa. Então, nesse sentido, o deputado pode estar criando uma dificuldade para, depois, vender uma facilidade”, explica Danilo.

Estão livres da exoneração apenas servidores efetivos ou que tem cargos ligados aos gabinetes das lideranças da Câmara, além de gestantes e pessoas que estejam de férias. Porém, nesses últimos casos, os funcionários serão desligados assim que voltarem ao trabalho.

De acordo com assessoria do presidente da Câmara ,  o ato é regular e administrativo. Além disso, reforça a assessoria, os cargos deveriam ter sido desocupados na gestão anterior, do deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Por Luis Ricardo Machado

Rede de Notícias Regional /Brasília

Crédito da foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados

Compartilhe