Mais um magistrado catarinense passará a atuar como juiz auxiliar de ministro do STJ

A partir do dia 1º de dezembro de 2020, o juiz Tiago Fachin, atualmente titular da 2ª Vara da comarca de Araquari, passará a atuar como juiz auxiliar no gabinete do ministro Joel Ilan Paciornik, no Superior Tribunal de Justiça (STJ). Nesta semana, foi publicada, no Diário da Justiça do TJSC, a portaria nº 2215, que concede licença ao magistrado para sua atuação na capital federal. É mais um magistrado catarinense convocado para auxiliar trabalhos junto aos tribunais superiores em Brasília.


Receber as principais informações diariamente pelo WhatsApp

“Sobre esta convocação, digo sem pestanejar que será uma experiência ímpar. E essa afirmação faço convicto, pois a função de Juiz Auxiliar junto ao Superior Tribunal de Justiça não faz parte, na forma tradicional, da carreira dos magistrados brasileiros. E somos muitos, mais de 18 mil no Brasil, o que sobreleva e destaca a profundidade e densidade intelectiva que a experiência vindoura demandará”, destaca o juiz Tiago Fachin. 

O magistrado complementa ao dizer que “vivemos tempos confusos, atropelados por desencontradas informações de toda sorte, onde somos diariamente inundados por ondas de amor e ódio aos indivíduos, aos Juízes, ao Poder Judiciário. E, ainda que algumas vezes tudo se torne uma grande barafunda e esses (i)reflexivos atos de ataque/defesa possam aparentar uma realidade desacreditada, projectando uma visão individualista e egocêntrica do futuro, ao perceber que não é esta a ideia que prevalece, sobretudo entre os magistrados brasileiros, tenho que desafios como este que me foi proposto devem ser enfrentados com grande comprometimento e sensatez, tal qual o fazem rotineiramente todos os juízes ao irromper dogmas nos mais inóspitos rincões.”

Já com relação ao magistrado que passará a auxiliar, frisa o juiz Tiago que o ministro Paciornik é, nas suas palavras, “um magistrado de destacada atuação, com decisões firmes e humanas”, detentor não só da sua admiração como do respeito da comunidade jurídica há longa data. Ainda, acrescenta o juiz catarinense que “¿a atuação humilde do ministro Joel que, com seu inegável conhecimento jurídico, renova em todos os jurisdicionados a confiança por dias melhores e repristina a honorabilidade do atual cargo que exerce”.

Fonte: TJ SC

Compartilhe